Festa das etnias e torcidas organizadas
Final do concurso é marcado pela valorização da cultura

Por Rosmari Grzybowski
28/08/2018 08h52

A final do concurso Rainha da Frinape 2018 foi marcada por espetáculos, dentro e fora da passarela. A comissão organizadora estimulou a participação popular e premiou as melhores torcidas das candidatas. Na apresentação das princesas foram homenageadas as etnias que ajudaram a povoar o solo “bota amarela’.

A corte oficial da Frinape 2018 é completada com as princesas étnicas: Kelly Roberta dos Santos Struns (Afro-brasileir); Júlia Bertolla Bichoff (Alemã); Luíza Roismann (Israelita):;: Sabrina Dalla Rosa (Italiana); Meridielli Cristina Braga (Nativa);: Eduarda Czynkaruk Forest (Polonesa) e Laura Laís Durli (Tradicionalista).

A valorização da cultura étnica foi representada por danças com coreografias especiais.             

Um dos momentos marcantes da noite foi a saudação da torcida da candidata Milena Vargas, que representou Os Monarcas. O ato de apoio silenciou o centro de eventos lotado, quando o pai de Milena e vocalista do conjunto musical, interpretou paródia da música “Erechim, história e canto”, saudando a candidata apoiado pelo coro da torcida organizada. A homenagem rendeu o prêmio de melhor torcida.

A torcida do CER Atlântico venceu nas duas categorias: originalidade e animação.

 

menu
menu