O adeus a Fábio Koff
Corpo do ex-presidente do Grêmio será cremado

Por Assessoria de imprennsa
10/05/2018 21h17

O município de Erechim decretou lutou oficial de três dias pela morte do ex-jogador do Atlântico, ex-diretor do Ypiranga e ex-presidente do Grêmio, Fábio André Koff. O corpo será cremado na tarde desta sexta-feira (11), em Porto Alegre. O velório está sendo realizado no saguão principal da Arena, mesmo local onde será realizada missa de encomendação.

Fábio André Koff nasceu em Bento Gonçalves, no dia 13 de maio de 1931 e morou em Erechim a partir dos dez anos de idade.  Sua paixão pelo Grêmio começou muito cedo quando, aos 5 anos, ganhou de presente uma camisa do time. Ainda menino, foi levado pela primeira vez pelas mãos de um tio para conhecer a antiga Baixada. Era o que faltava para solidificar o amor pelo clube.

Formado em direito, exerceu a profissão pelo interior do Estado, passando por Passo Fundo, Flores da Cunha, Frederico Westphalen e São Jerônimo. Neste período, acompanhava os jogos do Tricolor pelo rádio. Em 1958, tornou-se sócio do clube e, já em Porto Alegre, entrou para o Conselho Deliberativo no dia 1º de julho 1967.

Com apenas 36 anos, começava uma trajetória de relevantes serviços prestados ao Grêmio. Em 1976, foi eleito vice-presidente de futebol na gestão de Hélio Dourado. Em 1980, concorreu pela primeira vez à presidência do clube, sendo derrotado pelo próprio Hélio Dourado. Porém, no final de 1981, foi eleito presidente pela primeira vez. Nesta passagem, conquistou a primeira Copa Libertadores e o Mundial, tornando-se o mais vitorioso presidente da história do Grêmio.

Em 1990, Fábio Koff é eleito presidente do Conselho Deliberativo. Dois anos depois, volta a assumir a presidência, para mais uma trajetória vitoriosa, sendo reeleito para o mandato 1994/96. Neste período, voltou a conquistar a Libertadores, em 1995, além da Recopa e do Brasileiro de 1996, a Copa do Brasil de 1994 e os estaduais de 1993, 1995 e 1996.

Em 1995, Koff é eleito presidente do Clube dos 13, cargo no qual permaneceu por 16 anos. Em 2012, logo após a inauguração da Arena, é reeleito presidente para seu quarto e último mandado a frente do clube do seu coração. Neste período, renegociou o contrato da gestão da nova casa gremista. Em 2014, assumiu como vice-presidente de Futebol, cargo que ocupou até março de 2015. A partir deste período, permaneceu ligado ao Grêmio na defesa dos interesses do entidade junto a OAS e Arena Porto-Alegrense.

menu
menu